Arquitetura Moderna: A nova concepção em arquitetura



Arquitetura

Desde a Semana de Arte Moderna de 1922 que a arquitetura contemporânea vem invadindo as cidades de todo o Brasil. No Litoral Norte de São Paulo, pode-se observar que o CCVT – Condomínio Costa Verde Tabatinga, com suas influências europeias, foi um dos primeiros condomínios de luxo da região a se reciclar e adaptar-se à nova concepção de arquitetura.

Em entrevista exclusiva para a Revista Quadra Prime, a premiada arquiteta Selma Tammaro, que possui residência e mantém um escritório de arquitetura no CCVT, disse que a construção de estilo no condomínio ficou para traz e atualmente o local possui arquitetura moderna. “Existem casas de estilo do início do condomínio que foram para o chão, foram demolidas e no lugar foram construídas casas modernas. Vieram novos arquitetos com novas ideias, com outras influências que fizeram essa mudança toda aqui”, declarou.

De acordo com Selma, a arquitetura moderna se dividiu em estilos, tornando-se uma fração do aconteceu com as inovações: uma mistura de todos os estilos que foram simplificados para linhas mais retas, mais simples, mais fáceis de execução, porque a mão-de-obra ficou escassa. “Com a carência da mão-de-obra foi necessário simplificar com o olhar das pessoas para a vida moderna. Assim começou aparecer a Arquitetura Moderna ou Contemporânea, com uso de materiais da natureza ou aqueles mais fáceis de serem manipulados e encontrados na região, o que também diminui o custo”, explicou.

Dentro do CCVT, a arquiteta não assina nenhum projeto de estilo. “Todos os meus projetos são modernos. Muitas pessoas dizem que casas modernas são as sem telhados, porém isso é questão de gosto, não é porque ela tem telhado que ela não seja moderna. Existem pessoas que gostam do “chapéu” do telhado”, explicou.

Para Selma, o projeto moderno precisa ter uma arquitetura limpa, ser retilíneo e sem detalhes de arabescos, além de contar com boa ventilação. “A ventilação cruzada, dá mais conforto térmico ao local. Esse método de modernismo é utilizado principalmente em ambientes sociais, onde há necessidade de circulação de ar para dar mais conforto para as pessoas”, ressalta.

Selma acrescentou que o modernismo foi um movimento inicial, que gerou uma revolução tanto na arte, como na arquitetura, na literatura, no entanto é o talento do arquiteto junto com sua criatividade que vão alterando e mudando os padrões, e isso acontece com frequência. “A praticidade exigiu muito que as coisas ficassem mais clean, é por isso que o movimento modernista não pegou imediatamente. Foi em 1950 que começaram a surgir casas de concreto aparente, mas isso já existia no exterior, porém antigamente era difícil a pessoa viajar para fora do país, hoje é mais fácil”.

A arquiteta destacou que as transformações acontecem de forma natural. “O mundo vai mudando. Hoje em dia a coisa está indo para uma linha mais contemporânea, porém não há mais setorização como existia antigamente. A cabeça é aberta e o mundo é aberto, quem quiser progredir tem que estar com a mente aberta. Tem que estar sempre se reciclando e a arquitetura exige muita reciclagem, exige muito estudo e conhecimento”, concluiu a arquiteta.


Compartilhe esse conteúdo nas redes:

PUBLICIDADE Absoluto – Pronto para Morar

Leia Também

Coliving

Por que utilizar móveis multifuncionais?

Vai se mudar ou reformar? Então você precisa conhecer as vantagens que os móveis multifuncionais trazem para sua casa, seu apartamento...
Arquitetura

Arquitetura Moderna: A nova concepção em arquitetura

Desde a Semana de Arte Moderna de 1922 que a arquitetura contemporânea vem invadindo as cidades de todo o Brasil. No Litoral Norte de São...