Como financiar um apartamento: dicas importantes que você precisa saber



Mercado

Saber como financiar um apartamento pode ser uma tarefa complicada no início. Afinal de contas, são tantas informações que muitas vezes nos sentimos perdidos e com medo de fazer algo errado, não é mesmo?

Aproveitando que 2018 é um ótimo ano para comprar o seu imóvel (te explicamos neste post aquio porquê), hoje daremos algumas informações importantes e específicas sobre como financiar um apartamento.

Acompanhe:

1. Entenda qual é o mais vantajoso sistema de amortização para você

Quando você começa a pesquisar como financiar um apartamento, você vai se deparar com dois tipos de sistemas de amortização de parcelas:

  • a Tabela Price (TP), cujas parcelas são fixas;
  • e o Sistema de Amortização Constante (SAC), cuja amortização é fixa e as parcelas são decrescentes.

De um modo geral, o SAC costuma ser mais vantajoso para os financiamentos imobiliários no banco, pois como as parcelas são decrescentes, você acaba pagando a maior parte da dívida no começo, diminuindo-a mais rapidamente.

Em alguns casos, inclusive, a diferença entre o SAC e a Tabela Price pode chegar a 15% do valor que se deve ao banco – esse percentual pode ser até maior, dependendo do valor do financiamento.

Além disso, pela Tabela Price, apenas depois de alguns anos o saldo devedor começará a cair – e nesse tempo, a valorização do imóvel no mercado pode não acompanhar o valor dessa dívida.

2. Saiba que é possível migrar o seu financiamento para outro banco (e economizar)

Se você quer migrar o seu financiamento para um banco que ofereça melhores taxas de juros e condições, você pode solicitar o processo de portabilidade.

Em simulação feita ao portal de notícias Extra, o coordenador do MBA em gestão financeira da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Ricardo Teixeira, concluiu que uma diminuição de 0,5 ponto percentual na taxa efetiva de juros anual pode significar uma economia de mais de R$ 18 mil – considerando um financiamento de R$ 150 mil ao longo de 30 anos.

Para fazer a migração, porém, é preciso ficar atento a alguns detalhes, como por exemplo:

  • Você será submetido a uma nova análise de crédito, reavaliação do imóvel e também a transferência de propriedade. Por isso, é fundamental que você compare o custo efetivo desse novo financiamento, em que são incluídas todas as taxas, seguros e tarifas bancárias;
  • Também fique atento a novas cobranças. O seu novo banco pode te cobrar tarifas bancárias e tarifas de cadastro, mas a o processo em geral não pode ter custo adicional, nem pelos serviços feitos em cartório. E cuidado com a tentativa de venda casada.

3. Para saber como financiar um apartamento, esteja ciente das taxas incluídas

O financiamento de apartamento envolve custos além daquela taxa de juros que você já conhece.

Além dessa taxa, existem ali valores de seguros – mais precisamente dois deles, que cobrem danos físicos ao imóvel, além de morte ou invalidez permanente. Além disso, o banco pode te cobrar mensalmente uma taxa de administração, que atualmente gira em torno de R$ 25.

Outro valor embutido no financiamento é a chamada correção monetária, que na maioria das vezes, utiliza como base o índice da TR (Taxa Referencial).

Neste post aquitem outras taxas que você precisa conhecer ao saber como financiar um apartamento.

Por isso, fique de olho no que você está pagando – o ideal é ir solicitando à instituição um demonstrativo do que já foi pago para conferir se não há nenhuma taxa “oculta” e, portanto, ilegal.

4. Se for unir várias rendas para o financiamento, saiba previamente como funciona o seguro

Você também precisa ficar atento sobre como financiar um apartamento junto com outra pessoa – o seu cônjuge, por exemplo.

Eis uma informação muito importante em relação ao seguro: caso uma das partes venha a falecer e o seguro precisar ser acionado, saiba que ele cobrirá somente o percentual que essa pessoa participou.

Por exemplo, se você entrar com 50% da sua renda para financiar o imóvel e o seu cônjuge entrar com os outros 50% e falecer no decorrer das prestações, o seguro por morte ou invalidez cobrirá apenas os 50% dele.

Isso é muito importante para vocês decidirem com qual percentual de renda cada um vai utilizar. O ideal é que a pessoa de mais idade tenha um percentual maior da renda no financiamento, pois no caso de um sinistro ou eventualidade, o seguro cobrirá essa parte maior.

5. Estude se vale a pena financiar o apartamento diretamente com a construtora

Você também pode optar por financiar o seu apartamento diretamente para a construtora, se ela dispor dessa modalidade.

Nesse caso, existem algumas vantagens, e podemos destacar a aprovação de crédito mais simplificada, a negociação sem intermediários e condições de pagamento mais flexíveis.

Então, não deixe de comparar o financiamento na construtora e também nos bancos para saber qual deles valerá mais a pena em seu caso específico.

Para complementar esse assunto sobre como financiar um apartamento, separamos um post esclarecendo uma dúvida muito comum dos leitores do blog: como comprar seu apartamento na planta com segurança. Leia atentamente e até a próxima!


Compartilhe esse conteúdo nas redes:

PUBLICIDADE Absoluto – Pronto para Morar

Leia Também

Coliving

Conheça os empreendimentos coliving e more na Aldeota a partir de R$ 299 mil

Quem pensa em adquirir um imóvel próprio se vê diante de um dilema: pagar mais por um apartamento bem localizado ou economizar na...
Coliving

Qual o melhor investimento para seu dinheiro?

Muitos pequenos investidores já se viram na duvida entre qual o melhor tipo de investimento no Brasil. Em um país acostumado a um...