Vistoria do Imóvel: Como fazer?



Mercado

Se você está prestes a comprar uma casa, um apartamento ou uma sala comercial, saiba que a vistoria do imóvel é uma tarefa que precisa ser feita – aliás, até mesmo se ele ainda está na planta.

Trata-se de uma prática muito adotada pelas imobiliárias e construtoras como uma forma de comprovar em quais condições o proprietário encontrará o imóvel antes da mudança, ou seja, como o imóvel deve ser entregue.

Vem entender melhor sobre esse assunto: afinal, como fazer a vistoria do imóvel? O que deve ser vistoriado?

1. Saiba por onde começar a vistoriar um imóvel

Bom, como dito, a vistoria do imóvel verifica seu estado e se existem defeitos que possam comprometer a segurança dos moradores, e, ainda, afetar o próprio valor da venda.

Essa é uma tarefa muito importante porque torna a transação financeira transparente e segura para os dois lados – tanto para os moradores quanto para a construtora/imobiliária.

Mas, na prática, será que existe algum documento que atesta a vistoria do imóvel e todas as suas características? Existe, sim, e ele se chama Memorial Descritivo. Esse documento é muito comum em imóveis novos ou comprados ainda na planta. Registrado em cartório pela construtora, ele detalha todas as informações sobre a obra, que precisam ser conferidas antes da assinatura do contrato ou do recebimento das chaves.

Entretanto, se o futuro proprietário estiver adquirindo um imóvel usado ou que não tenha um Memorial Descritivo, ele não deve se desesperar. Nesse caso, a vistoria precisa ser feita sob a orientação de um profissional, sendo que deve ser feito um documento que atesta a vistoria, anexado ao contrato de compra.

2. Verifique todos os detalhes do imóvel durante a vistoria

De uma forma geral, eis o que precisa passar por uma vistoria:

  • Metragem do imóvel: as medidas não podem dar uma diferença de 5%, pois, se tiverem, é preciso renegociar o valor do imóvel ou tomar outras medidas.
  • Vagas na garagem: verifique as condições de acesso, tamanho, segurança e passagem do veículo. Aliás, não se esqueça de verificar se as vagas estão em contrato.
  • Áreas comuns: inspecione elevadores, áreas de lazer, halls, salões e tudo o que possa interferir no uso pelos moradores, interferindo em suas convivências e também no valor do imóvel.
  • Parte elétrica, hidráulica e inspeção de gás: tomadas, fiação em geral, chuveiros, torneiras, válvulas dos sanitários, boxes, escoamento da água nas partes úmidas, canalização dos esgotos e as condições das instalações de gás.
  • Esquadrias: verifique o estado das portas e janelas, incluindo a resistência, as fechaduras, os trincos, a fixação dos parafusos, borrachas, vedação, roldana, fechos e saídas da água.
  • Pintura e revestimentos: inspecione as condições da pintura, incluindo a parte externa, bem como o estado dos azulejos, rejuntes e os demais revestimentos.
  • Pisos e forros: fique de olho em possíveis trincas, rachaduras, mofo, furos, pisos soltos, desníveis, buracos, bem como o contrapiso e o rodapé.

3. A mobília também precisa passar pela vistoria do imóvel

Muitas pessoas não sabem, mas todo o mobiliário entregue no imóvel também precisa ser vistoriado, tanto na venda quanto no aluguel de um imóvel. Portanto, se tem mobiliário dentro dele, isso precisa constar no memorial descritivo ou no documento anexo no contrato.

Verifique as condições dos armários, estantes, gabinetes, utensílios, louças e eletrodomésticos que estiverem no imóvel. Também fique de olho nos desenhos da decoração, nos puxadores, nas dobradiças e se todos os móveis e armários estão bem montados e, se preciso, bem fixados em seus lugares.

4. Conte com profissionais para te acompanharem na vistoria do imóvel

Vistoriar um imóvel é algo que deve ser feito com muito critério e atenção; então, nada melhor do que contar com a ajuda de um profissional devidamente certificado para te ajudar – no caso, o corretor de imóveis.

Além dele, vocês podem precisar do auxílio de profissionais mais técnicos para verificar detalhes elétricos, hidráulicos e instalações de gás, por exemplo, que precisam ser feitos com segurança e com o uso de equipamentos apropriados para os testes.

5. Não se esqueça de documentar tudo

Tudo o que for encontrado e que precise de reparos deve ser documentando em texto e também em fotos. Por exemplo, manchas, rachaduras, buracos, diferenças nos pisos, fechadura de portas sem chave… Relate cada detalhe da vistoria para que as providências sejam tomadas antes da sua mudança.

E então, já sabe como fazer a vistoria do imóvel que você deseja comprar? Se ficou com alguma dúvida, deixe o seu comentário e continue acompanhando as atualizações da Revista Imob.

Aproveite para conhecer algumas taxas na compra do imóvel que nem todo mundo conhece. Até a próxima!


Compartilhe esse conteúdo nas redes:

PUBLICIDADE Absoluto – Pronto para Morar

Leia Também

Lazer

10 dicas para transformar a sua casa num espaço kid-friendly

Se tem crianças em casa, já deve saber perfeitamente que muito do que outrora (pré-criança!) parecia inofensivo é, afinal, uma fonte...
Mercado

As perspectivas para investimentos no mercado imobiliário em 2019

Mesmo em meio a determinadas incertezas que o Brasil vive atualmente, as perspectivas são otimistas para o mercado imobiliário em 2019...